terça-feira, 6 de dezembro de 2011

PÓS CAMPEONATO

O ano passou eu postei mais que nos anteriores, mas pra variar a correria e outras coisas me fizeram abandonar esse blog antes do fim do campeonato. Mas hoje volto aqui depois de tantos pós jogo para fazer um pós campeonato do timão 5 estrelas

O ano que parecia ser trágico naquela eliminação frente ao Tolima, com a aposentadoria de Ronaldo e a saída de Roberto Carlos, Jucilei e Dentinho ainda antes do brasileirão, foi se mostrando fantástico nas primeiras dez rodadas, onde a "Titabilidade" nos levou a nove vitórias e um empate em dez jogos.

Claro que não!!! Aqui é Brasileirão e Corinthians e nada seria fácil... O time oscilou como todos os outros, mas no fim demonstrou que com garra pode se ganhar mais que com técnica. O timão teve coração, raça e disposição para driblar os problemas e rumar seguro até alcançar o campeonato.

Se em outros anos nos chamaram de "apito amigo" esse ano tiveram que aprender que time de verdade não chora escandalosos erros de arbitragem mesmo que me seis jogos seguidos... Ele vai lá, vira, empate e as vezes até perde, mas no fim Poe o caneco na conta e comemora ao invés de chorar e editar DVD.

Foi o campeonato do jogo técnico e tático, aonde o professor conseguiu incutir na cabeça do elenco que eles só seriam campeões se doassem 100% de suas vidas, pernas e cabeças em cada jogo.

Se 90 foi o campeonato do Neto, 98 o do Marcelinho, 99 o do super meio campo com Rincon, Vampeta, Marcelinho e Ricardinho e 2005 o de Tevez e os "Gambaláticos" da MSI, esse foi o campeonato da FIEL!!! Nunca em um brasileiro fomos tão decisivos, aliás nós e o professor do equilíbrio, ou equilibrilidade.

Ele que foi o mais injustiçado pela CBF única e exclusivamente porque a entidade máxima do futebol quis fazer média com a doença de Ricardo Gomes, e não deu a quem de direito o título de melhor técnico do campeonato.

Tite remontou o time em janeiro, depois em março e por fim em junho e ainda sim liderou mais de 70% do campeonato, e esteve no G4 tão sonhados por muitos em todas elas...

Esse foi o ano do Corinthians, e por isso no dia que poderia ser uma dos mais tristes de nossa história pela morte do eterno Doutor Socrates, resolvemos não nos entregar à tristeza e realizar um desejo seu externado em 1983: "Quero morrer em um domingo e com o Corinthians campeão".

Ta aí Doutor, siga em paz para reforçar o elenco do Coringão no céu, ao lado de nossos grandes e eternos craques do passado como Neco e Luisinho...

Tudo que se falar desse jogo é pouco perto do carrossel de emoções que nós Corintianos sofremos esse ano. Da eliminação do dia 06/02 ao título do dia 04/12 foram doze meses de puro Corinthians...

Valeu Coringão...

NOTAS DO ELENCO*

JULIO CESAR – O único representante dos titulares vindo do terrão seguiu sua sina de sempre tomar gol em jogos festivos dos outros e até no seu próprio, na maioria frangos... Mas fechou o gol em várias partidas e levou o caneco pra casa... É AQUELE JOGO CONTRA O BOTAFOGO COM O DEDO QUEBRADO NO FINAL FOI DEMAIS...

RENAN REUTER – É sem dúvida uma grande promessa, mas jogar no Corinthians é diferente de jogar no Avaí. Claramente sentiu o peso da camisa e acabou sacado. Ganhando experiência vai nos ser muito útil.

DANILO FERNANDES – Mais um do terrão que segurou a onda no momento de necessidade. Substituiu Renan durante a contusão do titular e foi bem mesmo estreando em clássico. Tecnicamente me parece o melhor do elenco. Mas goleiro não é só técnica.


ALESSANDRO – Saiu e voltou demais do time o que o impediu de ter uma seqüência que lhe permitisse ter ritmo de jogo... Mas guerreiro é sempre guerreiro e no fim foi o capitão que o time precisou apesar das inúmeras falhas.

DENNER - ???

FABIO CORINTHIANS – Àquele que chegou no começo do ano com a pecha de reserve do covarde do Roberto Carlos e terminou como ídolo e titular absoluto do time e da torcida. Claramente o mais importante componente da ligação da defesa com o meio de campo, funciona como zagueiro e sai como um meia armador. Sem contar que sempre que se contundiu voltou BEM ANTES do que os médicos previam, como no decisivo empate com a bicharada

RAMON – Jogou menos do que eu esperei, mas foi esperto em sair do vice e vir jogar no campeão. Quando entrou fez um papel razoável mas ainda sim chegou a ser colocado de fora por um improvisado Weldinho. Além disso, ainda se machucou demais

WELDER – Sempre que entrou foi bem, fazendo a torcida em vários momentos pedi-lo no lugar do capitão Alessandro. Jogou nas duas e raramente comprometeu. Se o Alessandro voltar a vacilar, ta ali pro que der e vier.


ANDRÉ VINICIUS - ???

CHICÃO – Começou o campeonato com moral de campeão e terminou como segunda opção no banco atrás até do Wallace, e o único culpado por isso foi ele mesmo... Aquele que já nos deus alegria e representou em campo, deixou seu físico e sua técnica se perderem na noite paulistana e ainda passou recibo xingando blogueiros... Espero que ano que vem retome o foco.

XARÁ CASTAN – Esse fez o caminho inverso. Ano passado era o quarto zagueiro, e com a aposentadoria do Capitão Willian e a contusão do Paulo André agarrou a oportunidade desde aquele jogo contra o Goiás ano passado em Goiânia. Terminou o ano como um dos grandes da posição no país.

MARQUINHOS - ???

PAULO ANDRÉ – Sempre achei que merecia uma vaga no time, só não sabia onde. Cheguei até defender um esquema com três zagueiros pra arrumar uma vaguinha pra ele. Recuperado de contusão aproveitou a chance dada pela queda técnica do antigo capitão e se tornou um líder dentro e fora de campo. Na minha opinião deveria ser ele o capitão desse time. Além disso tudo é o único jogador desse elenco que demonstra mesmo que vagamente ser parecido com o Doutor em idéias e comportamento. Talvez por ser amigo dele.

WALLACE – Tirando a expulsão imbecil do último jogo quando estávamos dispostos a comemorar e ganhar a partida, raramente comprometeu, sendo que sempre entrou nas roubadas de contusão e/ou suspensão dos titulares da zaga e no fim até do meio campo. Promete evoluir e ficar um baita jogador no futuro.


BRUNO OCTÁVIO – Dessa vez foi campeão sem jogar. Se não jogou, não atrapalhou e eu já agradeço. Sempre teve potencial, mas nunca conseguiu repetir no time de cima seu desempenho na categoria de base. Tomara que ano que vem seja diferente

MORADEI – Na final o técnico preferiu improvisar um zagueiro do que usá-lo no lugar de Ralf e isso já explica tudo. É muito esforçado e batalhador, mas não tem lá muito talento essa é a verdade. Quando entrou correu e deu a vida o que já é bom...

NENE BONILHA - ???

PAULINHO – O melhor do campeonato em sua posição disparado segue a linha de segundos volantes de excelente qualidade descobertos pelo coringão desde Elias, e depois Jucilei. Espero que mantenha a palavra de não sair do time para a Europa porque fará falta demais. Sempre foi o desafogo da armação das jogadas e quando não rende o time rende menos também.

RALF – Quando o traira do Cristian saiu para a Turquia em meio a lagrimas de crocodilo, dez entre dez corintianos festejaram o retorno de Marcelo Mattos ao elenco e poucos se deram conta da chegada dele. Dois anos e meio depois MM joga do derrotado Botafogo e ele tá na seleção. Salve o Corinthians que o trouxe e o Barueri/Prudente que vendeu ele pra nós... Pra não perder o costume... M O N S T R O


ALEX – O jogador mais caro do elenco e um dos mais caros do campeonato parecia que seria um enorme desperdício de dinheiro, mas na reta final foi decisivo com cruzamentos, faltas e gols... Ainda sim ta devendo uns 4 milhões pra torcida. Mas ta com moral pra pagar ano que vem.

DANILO – Foi Zidanilo e foi Danilozzzzzzzz em um mesmo campeonato. A verdade é que tem muita importância tática para o esquema do professor, mas o Montillo faria melhor seu papel. Quando a coisa apertou tava ali e fez grandes partidas como contra o Vasco em São Januário.

EDENILSON – Jogou quase todos os jogos. Foi o verdadeiro décimo segundo jogador. Fosse na NBA e seria eleito algo próximo do melhor sexto homem que eles elegem. Jogou de volante de meia e até de centroavante. Nunca foi brilhante, mas jamais foi vexatório. No balanço geral, termina o ano com moral.

MATHEUS - ???

MORAIS – O tempo passa e eu sempre acho que ele é uma piada de mal gosto. A ultima vez que jogou verdadeiramente o que se acha que ele joga faz uns dois anos. Não é atoa que o Vice da Gama nunca foi atrás de tê-lo de volta... Não me lembro de ter sido nem importante nem decisivo em nenhuma partida nesse campeonato

RAMIREZ – Esse joga pouco e quando joga da show. Se apenas aqueles minutos contra o ceará fossem levados em conta já valeriam a pena. Foi sensacional o gol e decisivo par ao campeonato. Ano que vem tem de provar na liberta que pode ter seqüência...


ADRIANO – Jogou poucos jogos e na verdade ia passando sem fazer falta até que... PORRA GORDO FILHA DA PUTA ISSO É QUE É GOL DE GÊNIO, CARALHO, VAI CORINTHIANNNNSSSSSSSSSSS... Foi isso e sumiu de novo... Ano que vem tomara que valha de alguma coisa além de um só gol, mas se for o gol do título tá razoável...

ELIAS - ???

EMERSON – Milk Sheik vida loka sangue nos zoio me surpreendeu positivamente nesse campeonato... Achei que não valeria a pena trazê-lo, mas ele joga demais. A tempo não vi um jogador com poder de domínio de bola e de segurar bem uma bola no ataque. Alem do que é pé quente pra caralho. Ganhou três brasileirões em três disputados, azar do fluminense que mandou ele embora por uma bobagem.

JORGE HENRIQUE – Oscilou demais esse ano, nem de longe foi o São Jorge Henrique de temporadas passadas, mas quer saber, entrou na roubada no último jogo, jogou pra caralho e ainda tirou uma onda da porcada e do chileno mal caráter no fim... Só Edilson e suas embaixadinhas fariam melhor

LIEDSON – A contratação do ano no coringão... Chegou jogou, fez gol e se sacrificou pelo time e pelo título. Jogar com os dois joelhos estourados é foda demais... Muito orgulho desse baiano mais corintiano que muitos...

TAUBATÉ - ???

WILLIAN – É o Danilo dois desse time. Teme jogos sensacionais e outros pífios em que desejávamos matá-lo. Mas para o primeiro ano de um garoto vindo de um time pequeno, valeu demais. Promete evoluir para o ano


TITE – A "Titabilidade" foi a palavra desse ano. Com seu linguajar e posturas diferentes esse gaucho mostrou que manter um trabalho sempre leva a bons resultados... Alex Fergunson levou seis anos para conseguir o primeiro título com o United e ele apenas dois... Espero que permaneça ano que vem mesmo contra minha vontade em vários momentos...

VAI CORINTHIANSSSSSSS...


*retirado do site do corinthians

3 comentários:

José Augusto disse...

2º turno em OFF, ficou com "medo", né? huahuahuaauhhua

Concordamos que a CBF fez sim a "média" para ficar bem na fita e se sensibilizar com o Ricardo Gomes, agora foi inacreditável o Prêmio do Melhor Goleiro. Já me manifestei e não vou falar mais a respeito.

Eu vi essa frase do Sócrates e me lembrei do Chico Xavier, que morreu no dia em que o Brasil também foi Penta: "Quero morrer em um dia em que os brasileiros estivessem muito felizes e em que o país estivesse em festa, por isso ninguém ficaria triste com seu passamento."

Corinthians - Campeão da Razão
Vasco - Campeão da Emoção.


Abraço

Leo disse...

Campeão da emoção??? campeão é campeão zezera tem isso de campeão moral não...

e não foi medo... 2º turno off foi culpa da infraero que bloqueou todos os meu acessos

Ze_Sbrubbles disse...

Foi mal, eu falei errado. Não é emoção, e sim "moral".

Concordo que campeão é campeão. Mas me dou por satisfeito pela campanha do Vasco. O título seria justo para qualquer um dos 2.